Trem-Bala, Ana Vilela

Não é sobre ter todas pessoas do mundo pra si
É sobre saber que em algum lugar alguém zela por ti
É sobre cantar e poder escutar mais do que a própria voz
É sobre dançar na chuva de vida que cai sobre nós
 
É saber se sentir infinito
Num universo tão vasto e bonito é saber sonhar
Então, fazer valer a pena cada verso
Daquele poema sobre acreditar
 
Não é sobre chegar no topo do mundo e saber que venceu
É sobre escalar e sentir que o caminho te fortaleceu
É sobre ser abrigo e também ter morada em outros corações
E assim ter amigos contigo em todas as situações
 
A gente não pode ter tudo
Qual seria a graça do mundo se fosse assim?
Por isso, eu prefiro sorrisos
E os presentes que a vida trouxe pra perto de mim
 
Não é sobre tudo que o seu dinheiro é capaz de comprar
E sim sobre cada momento sorriso a se compartilhar
Também não é sobre correr contra o tempo pra ter sempre mais
Porque quando menos se espera a vida já ficou pra trás
 
Segura teu filho no colo
Sorria e abrace teus pais enquanto estão aqui
Que a vida é trem-bala, parceiro
E a gente é só passageiro prestes a partir
 
Laiá, laiá, laiá, laiá, laiá
Laiá, laiá, laiá, laiá, laiá
 
Segura teu filho no colo
Sorria e abrace teus pais enquanto estão aqui
Que a vida é trem-bala, parceiro
E a gente é só passageiro prestes a partir

- Beastly
- A Fera

- Juno

- The vow
- Para Sempre

- 17 again
- 17 outra vez

- American Horror Story

- American Horror Story

- American Horror Story

- A Morte e a Vida de Charlie

The Vampire Diarie´s

Elena: Stefan, you´re hurting me.

Stefan: Stop it, Katherine!

Katherine: Stop what?

(Stefan gets surprised and Elena gets confused)

(Stefan let Elena go)

Katherine: It´s getting really easy being you.

 

(2.16)

The Vampire Diarie´s

Damon: You´re miserable!

Katherine: Please, I´m Katherine Pierce. I´m a survivor!

 

(5.01)

The Vampire Diarie´s

Damon: I mean, you should have called Stefan.

Elena: I don´t trust him right now, Damon.

Stefan: Hey!

Elena: PS:I called Stefan.

 

(4.06)

The Vampire Diarie´s

Stefan: What I don´t get is why she likes you.

Damon: It´s because you haven´t had sex with me.

J. K. Rowling

     Joanne Rowling (Yate, 31 de julho de 1965), também conhecida como J. K. Rowling nome com o qual assina as suas obras, ou pelo seu nome de casada, Joanne Murray, é uma escritora britânica de ficção, autora dos sete livros da famosa e premiada série Harry Potter, do livro Morte Súbira e de três outros pequenos livros relacionados com Harry Potter.

     Muitos autores influenciaram sua obra, e fizeram nascer em Joanne a vontade latente de tornar-se escritora.

     Famosa por escrever em bares, com a primogênita ao lado no carrinho, ela enfrentou uma série de dificuldades até atingir a fama como escritora, passando-se longos anos até que o Harry Potter e a Pedra Filosofal chegasse às prateleiras, com a ajuda de seu agente literário Christopher Little. Desde então, J. K. Rowling escreveu os outros seis livros, e capacitaram-na a contribuir para instituições que ajudam a combater doenças, injustiças e a pobreza.

     Os seus livros, traduzidos para 64 línguas, venderam mais de 450 milhões de cópias pelo mundo todo, e renderam à autora por volta de 576 milhões de libras, mais ou menos 1 bilhão de dólares, segundo estimativa da Forbe em fevereiro de 2004, tornando-a a primeira pessoa a tornar-se bilionária (em dólares) escrevendo livros. Em 2007 ficou com a posição 891 dos bilionários do mundo na lista da Forbes e nesse mesmo ano ela ficou em 48º lugar da lista da Forbes "100 Celebridades". Em 2006, apareceu na posição 1064, embora sua fortuna tenha aumentado em cerca de 20% com o lançamento de Harry Potter e as Relíquias da Morte, o último livro da série, e suas respetivas adaptações cinematográficas.

     Em 2011 foi lançado o filme Magia além das palavras, uma biografia não autorizada pela escritora.

     Em fevereiro de 2012, Little, Brown & Company anunciou que iria publicar o primeiro romance de Rowling para adultos, The Casual Vacancy.

     O seu patrimônio era estimado em 1 bilhão de dólares, mas depois de fazer doações, doando cerca de 20% de sua fortuna bruta, seu patrimônio está estimado em cerca de 850 milhões.

Clue

O clue é um dos aplicativos que mais gosto e que mais uso. Usa-se todos os dias e é muito importante para o meu dia-a-dia.

O clue ajuda-me a ver quando irá ser a minha próxima menstruação, o meu próximo ciclo fertil, o dia de ovulação, e ainda consigo meter o que aconteceu ou o que sinto num determinado dia.

Este aplicativo é muito util! Aconselho a todos😘

- Amigos Coloridos

- Amigos Coloridos

A culpa é das estrelas

"Alguns infinitos são maiores que outros."

Cidades de Papel

"Ela amava tanto o mistério que acabou por se tornar num!"

- Dear John

Hobin Hood

"Lutar e lutar até que os cordeiros tornem-se leões."

A culpa é das estrelas

"O lar é onde fica o coração."

A culpa é das estrelas

"Os meus melhores amigos eram os meus pais, o meu terceiro melhor amigo era um escritor que nem sabia que eu existia."

- Amigos coloridos

Divergente

"A paz é contida, aqui é liberdade"

Divergente

"O abismo serve para nos lembrar que há um limite tênue entre a coragem e a estupidez!"

(Four to Tris)

John Green- the greastest writter of all the time

Slated (Reiniciada), Tery Terry

O motorista carrega na buzina, apesar de não adiantar de nada. Não vão a lado nenhum: estão num engarrafamento.
     Uma rapariga loira, bonita, perto da traseira do autocarro, descansa a cabeça no ombro de um rapaz. Ele passa-lhe o braço em volta. Não se importam com o atraso. Outros estão inquietos. Uns lêem livros; alguns rapazes mais velhos atormentam um mais pequeno; raparigas falam sobre rapazes, rapazes falam sobre raparigas, e os que não têm amigos olham pela janela.
     Grito para o motorista. "Faça alguma coisa! Abra as portas! Deixe-os sair!"
     Mas ele não sabe o que vai acontecer. Não me consegue ouvir.
     A rapariga bonita tem frio. O rapaz levanta-se do seu lugar para lhe dar o casaco que está guardado por cima.
     É então que acontece: um assobio, um clarão, um estrondo. E começam os gritos.
     Fumo sufocante; mãos ensanguentadas a bater em janelas que não abrem; mais gritos. Mas o rapaz com a rapariga que costumava ser bonita está calado. Envolve-a com os braços, mas é tarde demais para lhe dizer que a ama. Está morta.
     Outro assobio; um flash; um explosão. Há um buraco na lateral do autocarro, mas mais silêncio, agora. O rapaz é puxado em segurança para longe da rapariga, e é então que se junta aos poucos sobreviventes. A gritar.
     Enfio as mãos nos ouvidos, mas os gritos continuam sempre.
     Demoro algum tempo a perceber.
     Sou eu.
  - in Slated (Reiniciada), Tery Terry